CAR: Moura supersónico no Rali dos Açores

IMG_1352

‘Entretido’ com outras contas, mormente a vitória à geral no Azores Airlines Rallye, Ricardo Moura lidera, de forma destacada, o Azores Airlines Rallye, no que diz respeito ao Campeonato dos Açores de Ralis.

Ricardo Moura e António Costa (Skoda Fabia R5) lideram, ao fim de nove provas especiais de classificação, a tabela de classificação geral do Azores Airlines Rallye, no que diz respeito ao campeonato açoriano de ralis.

O piloto tem sido seguido desde segunda feira – momento em que mostrou aos entusiastas locais o seu novo Skoda Fabia R5 – por uma autêntica legião dos seus conterrâneos que dele esperam a repetição da vitória à geral alcançada em 2016 e que, no ano passado, lhe fugiu na derradeira passagem por Vila Franca/São Brás.

Este ano, Moura perdeu tempo com um furo em Feteiras MEO 1 e depois em Sete Cidades 1, mas ainda assim não abriu mão da sua posição como líder da competição entre os pilotos açorianos.

Bernardo Sousa e Valter Cardoso (Citroen DS3 R5) são a mais recente formação a participar no Campeonato dos Açores de Ralis. Depois de uma paragem de quase dois anos e meio, o madeirense corre agora pela Play/Autoaçoreana Racing e está a ocupar o segundo lugar, entre os concorrentes ao campeonato açoriano, a mais de um minuto e meio dos líderes.

Luís Miguel Rego e Jorge Henriques (Ford Fiesta R5) apanharam um valente susto durante o dia de hoje, com a direção do Ford a apresentar anomalia em Feteiras MEO, obrigando Luís Rego Jr. a parar, desligar o carro e voltar a ligá-lo para que pudesse fazer reset ao comportamento anómalo. Concluiu o dia no terceiro posto, entre os açorianos, distando dos lideres mais de 2m24s.

Ruben e Estevão Rodrigues (Peugeot 208 R2) lideram entre as duas rodas motrizes, batendo o pé ao bicampeão em título, Rafael Botelho e Rui Raimundo (Citroen DS3 R3T) e cifrando a diferença em 1m:01s. João Faria e Carlos Medeiros (Peugeot 206 RC) são para já a terceira melhor formação em duas rodas motrizes.

Ruben Santos e Nuno Pereira (Peugeot 106 Rallye) são os melhores ‘não-homologados’, à geral e nas duas rodas motrizes. João Torres e João Reis (Toyota RAV4) competem sozinhos nos ‘não homologados’ de tração integral, liderando, portanto, a competição.

Como vai ser o derradeiro dia de prova para os açorianos?
São seis as provas especiais que esperam pelos concorrentes açorianos no dia de sábado. Duas passagens por Graminhais e Tronqueira, com uma derradeira passagem pela Super Especial Grupo Marques, ainda de manhã, e outra, por Vila Franca/São Brás, no início da tarde, marcam a agenda de todos os pilotos que ainda estão a participar no Azores Airlines Rallye de 2018.